ESTE NÃO É UM ESPAÇO PARA FAZER AMIGOS; É PARA INFLUENCIAR PESSOAS.



6 de jun de 2015

NÃO DÁ PRA TER RAIVA
DE BOB JEFF

Roberto Jefferson, empulseirado e encoleirado dentro de casa, como delator sem prêmio do esquema do Mensalão, aos poucos vai saindo do ostracismo com aquele mais que agudo, pontiagudo humor sarcástico que não deixa ninguém ter raiva dele.

Ele é o primus inter pares do Clube dos Cafajestes que fez o Brasil de sócio. Mas é impagável. E diz coisas com um calor de hipocrisia que só um diabo como ele é capaz de queimar os demais portadores de tridentes dessa geração de políticos canalhas que se apropriaram desse país.


Não dá para ter raiva de Bob Jeff.

Sua verborragia é o contraponto inteligente da blenorragia verbal e tosca de Lula da Silva. Ele não se repete; suas palavras envilecem, mas não envelhecem.

Ele foi o último dos mensaleiros a sair do regime fechado e, em contrapartida, é o primeiro da pandilha de sevandijas que tem autorização judicial para conceder entrevistas.

Por mais que seja quem Roberto Jefferson é, há que se reverenciar seu talento, seu notório saber jurídico-criminalista e o dom da coragem que Lula não tem. Que Lula não tem... nem de coragem e nem de saber.

Ele delatou desafetos - notem que jamais trato essa caterva geral como pessoas, ou como gente - ele entregou figuras abjetas que lhe passaram a perna; que quebraram a lei do jogo; quebraram o código da marginália que saiu das ruas e se instalou como crime organizado dentro do Estado.

Não, Bob Jeff não fez nada pelo bem de ninguém, por que, afinal, ele só pensa pro mal como a banda com que ele sempre andou envolvido, mas fez um bem enorme para o país quando chutou o balde e mostrou a cara de Zé Dirceu, o chefe da quadrilha que hipócrita como ele só, encobria a corja toda com a mais infeliz e cínica frase de feito que essa República já ouviu: "esse é um governo que não rouba e não deixa roubar".

Despertando na nação os "instintos mais primitivos", Bob Jeff demoliu, com o seu fino, quase charmoso cinismo intelectual, a trama que estava sendo urdida para fazer de Zé Dirceu, o sucessor de Lula na Presidência da República.

Com seus arroubos e sua eloquência, Bob Jeff mudou o destino desse Brasil desavergonhado a dar com pau e corrupto a mais não poder.

O desregro e a pilhagem que são cometidos no governo Dilma Vana hoje, seriam uma tragédia, uma desgraça sem precedentes e sem nenhuma chance de reversão, se Bob Jeff não tivesse acabado com a raça de Zé Dirceu e seus semelhantes.

O agora notável doméstico Bob Jeff, desenha o perfil de Zé Dirceu como se ele fosse uma versão de Hugo Chávez para o Brasil: "faltaria papel higiênico".  Dá  pra ter raiva de um adorável canalha e efetivo sacana como Roberto Jefferson?

De minha parte, com alguns rasgos de maldosa gratidão, digo-lhes que não. Dele não consigo ter raiva. Nem pena.